Fim do Design Sprint. E agora?

Esse post é o último de uma sequência de posts que relata o dia a dia de um processo de design, aplicado dentro de uma empresa com o objetivo de validar uma ideia de projeto de inovação. Veja mais sobre as nossas escolhas, adaptações desafios e aprendizados no primeiro dia de um design sprint, no segundo dia de um design sprint, e na reta final, com o terceiro e quarto dias de processo.

Muitas vezes, os processos imersivos de cocriação orientados pelo design geram uma empolgação momentânea, mas geram a insegurança de quais os próximos passos necessários para que o investimento gere valor. Como já explicamos ao longo dessa sequência de posts, o Design Sprint tem como objetivo o refinamento, prototipação e teste de uma ideia em um curto período de tempo, que será validada, refutada ou validada com ajustes, para que depois possa-se tomar uma decisão estratégica sobre a continuidade ou não do projeto. 

Caso a ideia se mostre inviável, foram gastos alguns dias apenas e se evitou um grande prejuízo. Caso a ideia seja validada, deve-se avançar no seu refinamento para a construção do produto/serviço que de fato irá para o mercado, carregando todo o aprendizado gerado e melhorando os atributos que se mostraram frágeis ou irrelevantes já na validação. 

Para que essa sequência fosse concretizada, no caso desse projeto específico, convocou-se uma reunião com a diretoria da empresa para apresentação do relatório final da sprint, demonstrando a todos os resultados gerados no que se refere a processos e aprendizados, contribuindo com a tomada de decisão do grupo sobre seguir ou não com o projeto. Com o alinhamento de visão e a aprovação das diferentes partes interessadas, partiu-se para as reuniões com equipes de comunicação e desenvolvimento que irão assumir o projeto para garantir sua execução. Ganhou-se tempo com a definição prévia do que seria um MVP (produto mínimo viável) adequado para gerar valor aos usuários, através de uma experiência satisfatória e consideravelmente melhor do que a experiência oferecida pelas soluções existentes. Do design sprint saiu ainda o documento de visão que está norteando a elaboração de um backlog de produto. 

Algo que deve ser percebido também é o impacto que aquele resultado tem na empresa. Citando novamente esse caso específico, para viabilizar a execução do que foi planejado sem que haja frustração da experiência do usuário, os processos internos do escritório precisam ser repensados, permitindo o atendimento de uma possível demanda reprimida que irá se apresentar no lançamento. Ou seja, além de planejar os meios para o desenvolvimento do novo produto e a experiência a ser proporcionada para os usuários, deve-se ter uma visão sistêmica para enxergar os efeitos secundários que impactarão as rotinas das pessoas que atuam em linha de frente e na retaguarda. Também foram identificadas as necessidades de contratação de novos papéis dentro da empresa para que a transição do modelo de negócios atual para o modelo projetado seja sadia para as pessoas. 

A agilidade e rapidez na execução das ações também são necessárias nesses processos. Quanto mais o tempo passa, mais as coisas mudam, e aquela ideia que parecia incrível aos olhos dos usuários pode parecer defasada depois de algum tempo. Portanto, preveja as ações que deverão ser tomadas previamente ao processo e já as deixe engatilhadas. 

Lembre-se: quanto mais tempo você demora pensando em colocar a ideia no mercado, mais chances de alguém já estar produzindo algo igual ou melhor que você! 

Isso quer dizer também que não devemos deixar de executar uma ação porque achamos que aquilo ainda não está pronto, perfeito, ou bom suficiente. Acredite: nunca estará! O movimento de aperfeiçoamento e revisão devem ser constantes para que o produto/serviço se mantenha sustentável no mercado, e acompanhe as mudanças do mesmo. 

Esperamos que tenham gostado da nossa sequência de posts sobre Design Sprint, e se você tiver dúvidas, quiser conversar sobre a técnica ou precisar da nossa ajuda para rodar esse processo, é só entrar em contato com nossa equipe!

No Comments

Post A Comment